segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Godzilla vs. Leonard Maltin (Parte 2)

Godzilla vs. Leonard Maltin - Os Outros Filmes Japoneses de Ficção Científica

Algumas semanas atrás, escrevi sobre a opinião do Leonard Maltin sobre os filmes de Godzilla e como a opinião dele evoluiu com o passar dos anos. A conclusão que poderíamos chegar é que o Leonard Maltin e a sua equipe respeita os filmes de Godzilla mais do que muitos outros críticos mainstream. Agora escrevo a opinião dele(s) sobre outros filmes japoneses do gênero de ficção científica. A maioria são do Toho, mas alguns são de outros estúdios, inclusive Daiei (GAMERA) e Toei (TERROR BENEATH THE SEA). Creio que podemos supor que o Maltin gostava mais dos filmes de Godzilla do que os outros, até aqueles que os fãs hoje acham clássicos.

Atragon (1963-Japonês) C - 96m. ** D: Ishiro Honda. Tadao Takashima, Yoko Fujiyama, Yu Fujiki, Hiroshi Koizumi. O mundo é ameaçado por um reino submarino nessa aventura infantil de ficção científica, com divertidos (senão realistas) efeitos especiais. O título se refere a um submarino e não a um monstro.

Battle in Outer Space (1959-Japonês) C - 74m. *1/2 D: Ishiro Honda. Ryo Ikebe, Kyoko Anzai, Leonard Stanford, Harold Conway. Filme pouco emocionante sobre a Terra se preparando para um ataque do espaço. Muitos efeitos especiais.

Frankenstein Conquers the World (1965-Japonês) C - 87m. ** D: Ishiro Honda. Nick Adams, Tadao Takashima, Kumi Mizuno. Filme de terror mediócre, em que Adams estrela como cientista em Tóquito que está combatendo um novo, gigante monstro de Frankenstein que está aterrorizando a região. Efeitos especiais inadequados.

Gammera, the Invincible (1966-Japonês-EUA) 88m. *1/2 D: Noriaki Yuasi. Brian Donlevy, Albert Dekker, John Bragey. Uma tartaruga gigante que vem do espaço e cospe fogo aterroriza a Terra, após uma explosão atômica. O primeiro numa série de filmes infantis de ficção científica. A versão japonesa original--sem atores americanos e chamado GAMERA--tem duração de 82m.

Green Slime (1969-Japonês-EUA) C-99m. *1/2 D: Kinji Fukasaku. Robert Horton, Luciana Paluzzi, Richard Jaeckal, Lucina Paluzzi, Bud Widom. Numa estação espacial, a substância titular--exposta a sangue--evolui em monstros de olhos vermelhos com tentáculos que multiplicam rapidamente e ameaçam a Terra. Não tão divertido quanto parece.

Half-Human (1955-Japonês) 70m. *1/2 D: Ishiro Honda, Kenneth Crane. John Carrdine, Morris Ankrum, Russ Thorson, Robert Karns. Americanos Carradine e Ankrum são inseridos num filme japonês sobre um abominável homem das neves e seu filhos. Há indicações que o filme original poderia ser bom, mas esta versão não é. Quase não tem dublagem, apenas a narração de Carradine.

H-Man (1958-Japonês) C-79m. ** D: Ishiro Honda. Kenji Sahara, Yumi Shirakawa, Akihiko Hirata, Koreya Senda. Bons efeitos especiais impedidos por roteiro bobo sobre um líquido radioativo causando destruição em Tóquio. Há história secundária de policiais contra criminosos.

King Kong Escapes (196-Japonês) C-96m. BOMB D: Ishiro Honda. Rhodes Reason, Mie Hama, Linda Miller, Akira Takarada. História forçada que envolve uma moça que conquista o coração do macaco, que batalha contra homem que quer dominar o mundo. O Kong nunca passou tanta vergonha.

Latitude Zero (1969-Japonês) C-99m. ** D: Ishiro Honda. Joseph Cotton, Cesar Romero, Richard Jaeckal, Patricia Medina, Linda Haynes, Akira Takarada. Um elenco importado acima da média ajuda esta aventura de ficção científica sobre uma civilização submarina de gênios benevolentes lutando contra as legiões de Malic (Romero), que quer dominar o mundo. A direção de arte é boa, mas a ação é o suspenso não são bem montados. Baseado numa antiga série de rádio.

Message from Space (1978-Japonês) C-105m. **1/2 D: Kinji Fukasaku. Vic Morrow, Sonny Chiba, Philip Casnoff, Peggy Lee Brennan, Sue Shiomi, Tetsuro Tamba. Planeta em guerra mande um SOS e recebe ajuda de um time intergalático. Atuação mecânica compensada pelos efeitos especiais e um robô adorável, ambos inspirados por STAR WARS.

Mothra (1961-Japonês) C-100m. **1/2 D: Ishiro Honda, Lee Kressel. Franky Sakai, Hiroshi Koizumi, Kyoko Kagawa, Emi Itoh, Yumi Itoh, Jelly (re: "Jerry") Itoh, Ken Uehara. Filme japonês de mostro bastante colorido sobre uma lagarta gigante que invade o Tóquio para resgatar pequeninas moças gêmeas, que estão a guiando com poderes supernaturais. A lagarta transforma numa grande mariposa, o que continua com a destruição. Mothra (ou os seus descendentes) voltaram para filmes posteriores também.

Mysterians, The (1957-Japonês) C-85m. **1/2 D: Ishiro Honda. Kenji Sahara, Yumi Shirakawa, Momoko Kochi, Akihiko Hirata. Séculos após a destruição do seu planeta, os alienígenas do título aterrissam na terra, constroem uma cúpula impregnável perto de um lago, e exigem mulheres. O mundo não gosta muito dessa atitude. Efeitos epeciais coloridos e um ritmo agitado fazem este filme um dos melhores de ficção científica a vir do Japão.

Rodan (1956-Japonês) C-70m. ** D: Ishiro Honda. Kenji Sahara, Yumi Shirakawa, Akihiko Hirata, Akio Kobori. Um pterodáctilo colossal  nasce numa mina e depois ataca Tóquio. Filme colorido no estilo de livros em quadrinho, muito típico dos estúdios de Toho.

Terror Beneath the Sea (1970-Japonês) C-85m.*1/2 D: Hajimo Sato. Peggy Neal, Andrew Hughes, Shinichi (Sonny) Chiba, Mike Daneen, Eric Nielsen. Cientista maluco cria monstros a partir dos prisioneiros numa cidade submarina. O mesmo de sempre.

Varan the Unbelievable (1958-Japonês-EUA) 70m. *1/2 D: Ishiro Honda, Jerry Baerwitz. Myron Healy, Tsuruko Kobayashi, Kozo Nomura, Ayumi Sonoda. Típico filme japonês de monstros feitos de borracha, menos o fato que o monstro desafia qualquer descrição. Parece ser um réptil, mas alguns insistem que é um esquilo gigante, pois na versão japonesa, ele voa com um esquilo-voador. No entanto, ele pisa nas cidades e assusta a população. Inacreditável é a palavra chave.

War of the Gargantuas (1966-EUA-Japonês) C-93m. BOMB D: Ishiro Honda. Russ Tamblyn, Kumi Mizuno, Kipp Hamilton, Yu Fujiki. Japão é ameaçado por uma gargântua (gigante humanoide) verde e má, enquanto uma gargântua marrom e amigável tenta promover a paz. Bizarro, mesmo pelos padrões do Toho.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário